Raphael Bebezão falha novamente em antidoping e recebe suspensão de dois anos pela USADA

A Agência Antidoping Americana (USADA) anunciou que o lutador Raphael Bebezão recebeu uma suspensão de dois anos após violar pela segunda vez as políticas de doping do Ultimate. O peso pesado (até 120,2kg) foi punido após testar positivo para a substância "Hidroclorotiazida" e por não ter sido localizado para testes em outras duas oportunidades.

Veja Também

Thiago Pitbull é confirmado para disputa de cinturão no "boxe sem luvas" em junhoCompanheiro de treinos de Weidman, Stephen Thompson afirma que o ex-campeão voltará ao UFC após grave lesãoÀs vésperas da estreia no Bellator, Anthony Johnson exibe forma física para encarar José Augusto "Gugu"Treinador de Adesanya critica decisão de Whittaker de não aceitar lutar no UFC 263

Segundo a USADA, o brasileiro teria testado positivo em quatro oportunidades, nos dias 9, 15 e 16 de fevereiro e 4 de março. Como Raphael não havia sido notificado até que a quarta amostra foi coletada, as quatro violações foram consideradas apenas uma. O peso pesado também foi punido por não ter sido localizado para testes em outras duas ocasiões, nos dias 25 e 28 de janeiro.

Anteriormente, Bebezão já havia sido punido pelo uso da mesma substância. Em novembro do ano passado, Raphael foi afastado por um ano das competições, porém com prazo retroativo a março de 2020, data do teste realizado. Dessa vez, o brasileiro ficará suspenso até 9 de fevereiro de 2023, data referente ao primeiro exame positivo.

A Hidroclorotiazida é um diurético proibido pela USADA. A substância costuma ser usada para perder peso e esconder ou dificultar a percepção do uso de substâncias dopadoras em exames antidoping.

Com um cartel de 10 vitórias e duas derrotas, Raphael foi contratado pelo Ultimate em 2019. Na organização presidida por Dana White, o peso pesado fez três lutas com um triunfo e dois reveses. Em seu último combate, Bebezão foi nocauteado por Tanner Boser em julho de 2020.